noticias

Foto: Fiocruz ImagensO zika vírus, identificado em 1947 nas florestas de Uganda, na África, tornou-se problema de saúde pública aqui no Brasil depois do primeiro caso registrado na região Nordeste do País, em 2015. Os aglomerados populacionais em condições sanitárias frágeis, somados à presença maciça do vetor, o mosquito Aedes aegypti, constituíram um cenário ideal para a consolidação do vírus.

A descoberta da relação entre o zika vírus e um surto de casos de microcefalia em bebês nascidos aqui no Brasil projetou o assunto à escala de preocupação mundial. Prova disso é o edital aberto pelo National Institutes of Health (NIH), dos Estados Unidos, que tem o objetivo de financiar pesquisas sobre o zika vírus e as complicações causadas por ele. A entidade, ligada ao Departamento Norte Americano de Saúde e Serviços Humanos, financiará pesquisas que tenham um custo máximo previsto de US$ 275 mil e duração de até dois anos. As propostas devem ser enviadas até o dia 8 de janeiro de 2020, através deste link

Os interessados em submetê-las com o suporte da Fiotec podem entrar em contato através do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. O apoio na elaboração busca facilitar o entendimento do edital e o cumprimento dos critérios dispostos no documento. Lembrando que para obter apoio da Fiotec é necessário o envolvimento de uma Unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

As chamadas abertas pelo NIH incentivam projetos que trabalhem com metodologias, técnicas e modelos inovadores. A ideia é financiar estudos que tenham um maior impacto no campo biomédico, comportamental e da pesquisa científica.

Consulte o tópico “purpose” para conhecer as áreas de estudo consideradas prioritárias pela NIH