noticias

Desde os anos 90, o mês de outubro é marcado por ações afirmativas relacionadas à prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. O Outubro Rosa tem como principal objetivo compartilhar informações sobre a doença e, mais recentemente, também sobre o câncer de colo do útero, promovendo a conscientização e proporcionando maior acesso aos serviços de diagnóstico, contribuindo para a redução da mortalidade.

O diagnóstico precoce ainda é o melhor aliado para o tratamento eficaz do câncer de mama. Quando identificado cedo pode ser tratado, impedindo que o tumor alcance outros órgãos. A orientação atual é que a mulher faça a observação e a autolpalpação sempre que se sentir confortável para tal, no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano. A mamografia é outro mecanismo importante para o diagnóstico precoce do câncer de mama. A recomendação aqui no Brasil, atualizada em 2015, é que o exame seja ofertado a mulheres entre 50 e 69 anos, a cada dois anos.

Amamentação é aliada contra o câncer de mama

Um estudo realizado com mulheres de 30 diferentes nacionalidades, publicado em 2002, apontou mais um caminho para a prevenção do câncer de mama: a amamentação. De acordo com o Fundo Mundial para Pesquisas sobre Câncer (World Cancer Research Fund – WCRF), o risco de contrair a doença diminui 4,3% a cada 12 meses de duração de amamentação. A proteção, inclusive, independe de idade, etnia, paridade e situação hormonal, ou seja, amamentar diminuiria o risco de câncer de mama em mulheres até a pós-menopausa.

O câncer de mama

É o mais frequente no mundo e entre as mulheres, depois do de pele não melanoma, com uma estimativa de mais de dois milhões de casos novos e cerca de 530 mil mortes em 2015 no mundo. Entre 2005 e 2015, no mundo, estima-se que houve um incremento de 43% dos casos de câncer de mama, sendo 2/3 deste crescimento devido ao crescimento e envelhecimento da população. No Brasil, estimam-se 57,9 mil casos novos em 2016/2017.

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Há vários tipos de câncer de mama, alguns com desenvolvimento rápido e outros mais lentos.

*Com informações do Blog da Saúde, do Ministério da Saúde.