noticias

Visita IFFA equipe do Instituto Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) recebeu no dia 28 de março os profissionais envolvidos no projeto “Coorte de grávidas com infecção por Zika e crianças com Síndrome Congênita do Vírus Zika”. O encontro levou à unidade representantes das instituições financiadoras do projeto, London School e Wellcome Trust, além dos profissionais responsáveis pela gestão da iniciativa na Fiotec, Clarisse de Castro, Renata dos Santos e Eduardo Diek, da equipe de Projetos Especiais.

A visita ao hospital do IFF possibilitou o contato direto com as mães e crianças acompanhadas pelo projeto, situação que nem sempre é possível vivenciar, em razão do intenso ritmo de demandas ou da distância em relação ao local de realização das atividades. “Desde que cheguei à Fiotec essa foi minha primeira oportunidade com esse tipo de contato com o projeto. Não poderia ter sido melhor”, celebra Renata, analista de Projetos Especiais.

Entretanto, o principal objetivo do encontro era outro: alinhar o procedimento de repasse de recursos pelo financiador para o projeto, o que normalmente é feito de outra maneira. “Fizemos uma espécie de prestação de contas a eles. Apresentei todos os valores já reservados para futuros compromissos, o saldo atual do projeto e a necessidade de alguns aportes pontuais”, explica Eduardo.

Acompanhamento gestacional para obter respostas

O projeto do IFF/Fiocruz se propõe a identificar mulheres grávidas com erupções cutâneas e acompanha-las até o final da gravidez para determinar se a gestação terminou em um aborto espontâneo; nascimento fetal ou nascimento vivo; e se o recém-nascido apresentou microcefalia ou outras anormalidades detectáveis no momento do nascimento ou durante os seis primeiros meses de vida.

O objetivo é produzir resultados que se convertam em artigos científicos sobre o risco absoluto de síndrome de Zika congênita (CZS) pela idade gestacional, se o risco é o mesmo nas três situações apresentadas acima ou se co-fatores modificam o risco, além de descrever o espectro completo da síndrome no nascimento e aos seis meses de idade da criança.