'Unidos contra a Covid-19' já soma R$76 milhões em doações - Fiotec

Fique por dentro

Por favor, selecione quais conteúdo deseja receber da Fiotec:

Você pode cancelar a inscrição a qualquer momento clicando no link no rodapé dos nossos e-mails.

Nós usamos Mailchimp como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para se inscrever, você reconhece que suas informações serão transferidas para a Mailchimp para processamento. Saiba mais sobre as práticas de privacidade da Mailchimp aqui.

Produção de kits para diagnóstico da Covid-19 é uma das iniciativas que recebem investimento de recursos levantados pelo programa (foto: Josué Damacena/Fiocruz Imagens)

Pouco mais de um mês após o início do programa Unidos Contra a Covid-19, da Fiocruz, já é possível verificar na plataforma de doação as parciais dos recursos captados. Os valores, atualizados semanalmente no menu ‘transparência’, apontam que até o último sábado (2/5), pouco mais de R$76 milhões haviam sido recebidos de 32 organizações públicas e privadas e 1.402 pessoas físicas para o fundo emergencial da Fundação. A expectativa é que mais R$ 30 milhões sejam doados nas próximas semanas.

O programa Unidos Contra a Covid-19lançado no dia 2 de abril, é uma ação da Fiocruz, que conta com o apoio das esferas pública e privada, para enfrentar a pandemia do novo coronavírus. As doações, obtidas através de indivíduos e organizações, fortalecem as ações e projetos iniciados pela instituição para combater a maior crise sanitária mundial da atualidade. 

"A construção desta rede de parcerias é de grande importância diante dos desafios que a emergência sanitária do novo coronavírus representa ao país. O apoio de empresas, justiça e pessoas físicas demonstram a confiança no trabalho da Fiocruz", ressalta o vice-presidente de Gestão e Desenvolvimento Institucional da Fundação, Mario Moreira.

Aplicação dos recursos

Foram aplicados cerca de R$ 39,5 milhões para auxiliar as iniciativas da Fiocruz. Parte desses recursos foram investidos em aquisição de insumos para a produção de 1,5 milhão de kits para diagnóstico da Covid-19; equipamentos para a automação do Centro Hospitalar para a Pandemia de Covid-19 – Instituto Nacional de Infectologia, que está sendo construído no campus Manguinhos, no Rio de Janeiro, com 200 leitos para pacientes com quadros graves da doença, 120 destinados ao tratamento intensivo e 80 ao tratamento semi-intensivo. O Centro Hospitalar iniciará suas operações em maio.


Continue lendo