Impacto da alimentação infantil no meio ambiente é tema da Semana Mundial do Aleitamento Materno 2020 - Fiotec

Fique por dentro

Por favor, selecione quais conteúdo deseja receber da Fiotec:

Você pode cancelar a inscrição a qualquer momento clicando no link no rodapé dos nossos e-mails.

Nós usamos Mailchimp como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para se inscrever, você reconhece que suas informações serão transferidas para a Mailchimp para processamento. Saiba mais sobre as práticas de privacidade da Mailchimp aqui.

Semana Aleitamento 2020 site(Foto: Peter Ilicciev)

Estamos em agosto, mês que se tornou simbólico na promoção do aleitamento materno, aqui no Brasil e no mundo. Inserida no Agosto Dourado, acontece a Semana Mundial de Aleitamento Materno, que neste ano se concentra no impacto da alimentação infantil no meio ambiente, promovendo e apoiando o aleitamento materno para a saúde do planeta e de seu povo. Sob o lema Apoie o Aleitamento Materno por um Planeta Saudável, a semana é impulsionada pela Rede Global de Bancos de Leite Humano (rBLH) que aqui no Brasil tem projetos e atividades apoiados pela Fiotec há mais de uma década.

Apesar da pandemia provocada pelo novo coronavírus, estão programados diversos eventos virtuais para celebração do Agosto Dourado e conscientização da população sobre a importância do aleitamento materno. Abrindo essa programação acontece hoje (5/8), às 15 horas, a palestra Aleitamento Materno em Tempos de Covid-19 no Portal de Boas Práticas do IFF/Fiocruz.

Outras palestras, debates e congressos estão previstos para todo o mês de agosto, em diversos estados do Brasil. Confira a programação.

Amamentação e a Covid-19

O Ministério da Saúde orienta que a amamentação seja mantida no caso de infecção pela mãe, já que não existem constatações científicas significativas sobre a transmissão do coronavírus por meio do leite materno. A pasta enfatiza a importância de a mulher procurar profissionais de saúde que a informem sobre os cuidados necessários durante todo o período em que estiver com a Covid-19.

Neste mês, o Ministério da Saúde lançou uma campanha de incentivo à amamentação no mesmo momento em que divulgou números que apontam para o crescimento da prática no Brasil nos últimos anos. Atualmente, de acordo com o estudo, mais da metade (53%) das crianças continuam sendo amamentadas no primeiro ano de vida.

Dados do resultado preliminar do Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (Enani) mostram que entre as crianças menores de quatro meses, 60% se alimentam exclusivamente do leite materno. Já entre as menores de seis meses, o índice é de 45,7%. Ainda, 60,9% das crianças menores de dois anos foram amamentadas. O levantamento avaliou mais de 14 mil crianças menores de cinco anos entre fevereiro de 2019 e março de 2020.


Com informações dos portais da rBLH Brasil e Ministério da Saúde.