Saúde dos idosos é pauta de diversas iniciativas da Fiocruz - Fiotec

Fique por dentro

Por favor, selecione quais conteúdo deseja receber da Fiotec:

Você pode cancelar a inscrição a qualquer momento clicando no link no rodapé dos nossos e-mails.

Nós usamos Mailchimp como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para se inscrever, você reconhece que suas informações serão transferidas para a Mailchimp para processamento. Saiba mais sobre as práticas de privacidade da Mailchimp aqui.

Os idosos já são mais de 25 milhões dos brasileiros e a estimativa é que, em 2027, essa população chegue a 37 milhões de pessoas. Apesar da relevância dos dados apresentados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aqui no Brasil o envelhecimento ainda é visto como algo grave, problemático. Segundo Dalia Romero, pesquisadora da Fiocruz, o modelo social neoliberal, que predomina mundialmente, não contribui para que as pessoas envelheçam com saúde. Uma das principais consequências disso é o maior gasto com custos de saúde, o que contribui para que o envelhecimento seja visto com negatividade.

Dalia é coordenadora do Grupo de Informação em Saúde e Envelhecimento (Gise), ligado ao Icict/Fiocruz, e defende que “antes de falarmos sobre os impactos do envelhecimento na sociedade é preciso descobrir as causas dele”. A pesquisadora defende que, hoje, a população com mais de 60 anos ser vista como um problema deve-se menos ao aumento da proporção de idosos e mais ao modelo de sociedade em que vivemos.

Romero destaca três iniciativas do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde, o Icict/Fiocruz, voltadas à saúde da pessoa idosa: o Sisap Idoso, um site que disponibiliza informações e indicadores que auxiliam o planejamento de ações em saúde voltadas à população idosa; o Saúde da Pessoa Idosa: boas práticas, criado para dar visibilidade às ações de municípios e Estados no campo da saúde da pessoa idosa; e a Caderneta do Idoso, que reúne todas as rotinas do cuidado à saúde, auxiliando, inclusive, o acompanhamento por parte dos familiares.

Acesse a reportagem feita com Dalia Romero para o informativo Conexão Fiotec-Fiocruz.

Os três projetos, todos criados a partir de convênios com o Ministério da Saúde, têm o mesmo objetivo do Dia de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, celebrado em 15 de junho: sensibilizar a sociedade para o combate às diversas formas de violência e discriminação contra a pessoa idosa. Aqui no Brasil foi aprovada em 2006 a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa, que tem entre suas diretrizes “a promoção do envelhecimento ativo e saudável”. O objetivo é realizar ações integradas de combate à violência doméstica e institucional contra a pessoa idosa.