Investimentos do Grand Challenges Canada contemplam iniciativas apoiadas pela Fiotec - Fiotec

Fique por dentro

Por favor, selecione quais conteúdo deseja receber da Fiotec:

Você pode cancelar a inscrição a qualquer momento clicando no link no rodapé dos nossos e-mails.

Nós usamos Mailchimp como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para se inscrever, você reconhece que suas informações serão transferidas para a Mailchimp para processamento. Saiba mais sobre as práticas de privacidade da Mailchimp aqui.

O Grand Challenges Canada, entidade fundada pelo Governo do Canadá, anunciou em 31 de maio um investimento de mais 10 milhões de dólares canadenses para testar 100 ideias voltadas a desafios crônicos para a garantia da saúde de mulheres e crianças de países em desenvolvimento. Dessa quantia, 4 milhões foram dedicados a projetos voltados à promoção dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres, o que marcou o início das ações da Política Feminista Canadense de Assistência Internacional.

As ideias, propostas por instituições canadenses e de todo mundo, apresentam soluções criativas para a melhoria das vidas e promoção da saúde de grupos populacionais vulneráveis em países da África, Ásia, Américas Central e do Sul, além do Caribe e Leste Europeu.

Cada uma das iniciativas receberá 100 mil dólares canadenses para desenvolver suas pesquisas e custear os testes. A Fiotec realiza o apoio financeiro, logístico e administrativo de três iniciativas que fazem parte do programa Grand Challenges:

Detecção de prematuridade pela luz

Trata-se do desenvolvimento de um pequeno dispositivo, de baixo custo e não invasivo, que utiliza sensores de luz para ler sinais nas peles dos bebês, ainda durante a gestação, e diagnosticar a prematuridade ou a possibilidade de a criança nascer com um peso inferior ao ideal. O projeto apresenta uma alternativa acessível para substituição dos ultrassons obstétricos, procedimentos caros para a realidade de muitas famílias. Mas, principalmente, representa uma maneira de garantir a saúde dos recém-nascidos, evitando complicações no pós-parto.

“Coroa térmica” para bebês

O dispositivo em questão, uma “coroa” que resfria a temperatura craniana, foi pensada para aumentar o bem-estar de bebês com encefalopatia por asfixia perinatal (PEA, na sigla em inglês), uma condição provocada pela oxigenação insuficiente do recém-nascido. O equipamento é portátil, tem uma reserva de energia independente, além de ser facilmente manuseado.

Produção instantânea de supositórios

Com foco nas populações rurais do Brasil e Moçambique, a proposta apresenta uma caixa capaz de produzir instantaneamente dispositivos capazes de atender mães e recém-nascidos que precisem de tratamento farmacológico. A iniciativa tem como objeto reduzir as mortes provocadas pela sepse, como são chamadas as complicações potencialmente fatais provocadas por uma infecção.