Fiocruz mantém compromisso com desenvolvimento sustentável no litoral sul do Rio - Fiotec

Fique por dentro

Por favor, selecione quais conteúdo deseja receber da Fiotec:

Você pode cancelar a inscrição a qualquer momento clicando no link no rodapé dos nossos e-mails.

Nós usamos Mailchimp como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para se inscrever, você reconhece que suas informações serão transferidas para a Mailchimp para processamento. Saiba mais sobre as práticas de privacidade da Mailchimp aqui.

Praia do Mamanguá, em Paraty-RJ (foto: Bruno Maia).O Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis do Mosaico da Bocaina (OTSS) chega a 2018 com o objetivo de solidificar as ações da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) feitas em parceria com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), por meio do projeto apoiado pela Fiotec desde 2013.

Os esforços, hoje, são voltados à ampliação e fortalecimento das metas anteriormente estabelecidas para o OTSS, qualificando as ações da Fiocruz no território da Bocaina e contribuindo para o desenvolvimento de iniciativas sustentáveis no município de Paraty-RJ e no seu entorno.

Lado a lado com a natureza

O observatório prevê a promoção da pesquisa e desenvolvimento tecnológico para a gestão sustentável dos recursos hídricos voltados para a melhoria da qualidade da água para consumo humano, coleta e destinação de resíduos sólidos e saneamento ecológico. Também faz parte do escopo a criação de uma incubadora de tecnologias sociais para apoiar projetos de desenvolvimento de produtos, técnicas e/ou metodologias desenvolvidas na interação com a comunidade e que representem efetivas soluções de transformação socioambiental do território.

Mosaico da Bocaina é o nome dado para 15 unidades de conservação de âmbitos federal, estadual e municipal, localizadas no Vale do Paraíba do Sul, litoral norte de São Paulo e litoral sul do Rio de Janeiro. O território abriga importantes maciços florestais, totalizando cerca de 222 hectares, sob condições especiais de manejo e proteção. Além disso, 40 comunidades tradicionais de três segmentos (caiçaras, indígenas e quilombolas) estão presentes na região.