Manual para gerentes de saúde é lançado na Ensp - Fiotec

Fique por dentro

Por favor, selecione quais conteúdo deseja receber da Fiotec:

Você pode cancelar a inscrição a qualquer momento clicando no link no rodapé dos nossos e-mails.

Nós usamos Mailchimp como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para se inscrever, você reconhece que suas informações serão transferidas para a Mailchimp para processamento. Saiba mais sobre as práticas de privacidade da Mailchimp aqui.

Com o objetivo de auxiliar os gerentes de saúde em suas práticas do dia a dia, foi lançado ontem (6/12), na Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp), o “Manual do Gerente: desafios da média gerência em saúde”, fruto da iniciativa Teias-Escola Manguinhos, que é apoiado pela Fiotec. O material, elaborado a partir de uma demanda da Subsecretaria de Atenção Primária, Vigilância e Promoção da Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro (Subpav/SMSDC-RJ), é voltado para gerentes intermediários das unidades de saúde e das unidades hospitalares, gerentes de unidades de atenção primária e para aqueles de níveis centrais de Secretarias Municipais e Estaduais - profissionais responsáveis em transformar as metas de suas unidades de saúde em resultados.

O Manual aborda seis capítulos elaborados após entrevistas com sete gerentes da Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro, além de pesquisa com aproximadamente 100 secretários municipais de saúde de diferentes localidades - ambas realizadas durante o Congresso Nacional do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems). Segundo Luisa Pessoa, coordenadora do trabalho, os entrevistados eram alunos da Oficina de Elaboração de Projetos de Investimentos que a Escola de Governo em Saúde da ENSP promoveu durante o evento.

Os capítulos do Manual do Gerente são: Gestão do Processo de Trabalho, Linhas de Cuidado Integral, Planejamento e Avaliação em Saúde, Gestão do Conhecimento, Gerenciamento dos Recursos Físicos e Tecnológicos em Saúde e Caixa de Ferramentas. O último capítulo do livro é baseado no Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ), lançado pelo Ministério da Saúde, para o qual foi criado um aplicativo on-line em que o gerente pode navegar. Este aplicativo estará disponível posteriormente na página da Ensp.

Luisa explicou que, desde 2005, está à frente do Programa da Incorporação de Tecnologias em Saúde da Ensp, que nasceu subsidiado pela Secretaria Executiva do Ministério da Saúde e vem sendo patrocinado por algumas instituições. Segundo ela, em 2009, a Prefeitura do Rio de Janeiro financiou cursos para três turmas, e a elaboração do Manual do Gerente é fruto desse investimento. A professora explicou ainda que outros professores da Escola estão inseridos no projeto, como Helena Seild, professora da Residência em Saúde da Família, e Francisco Javier Uribe Rivera, que elaborou um vídeo sobre o tema.

O projeto contou ainda com a participação e colaboração dos funcionários do EAD/Ensp, Eduardo Henrique de Arruda Santos e Kellem Raquel Brandão de Oliveira Torres, e das autoras Camilla Maia Franco, Simone Santos Agadir e Monica Ferzola Salgado. Segundo a coordenadora, após o lançamento do Manual, existe a proposta de se fazer outros produtos como oficinas e cursos. Além do lançamento na Ensp, também haverá um lançamento em Porto Alegre, onde também há colaboradores do projeto.

Sobre a iniciativa Teias-Escola Manguinhos

O Projeto Teias visa constituir, no bairro de Manguinhos, um território integrado de saúde, com um modelo participativo de gestão em saúde, enfocando a intersetorialidade e os determinantes sociais da saúde. O conceito do Teias é uma estratégia de aperfeiçoamento político-institucional, gerencial e de organização da atenção do SUS.

O projeto tem como finalidade integrar as ações de promoção, prevenção e assistência à saúde, reunindo a cobertura de equipes de Saúde da Família, Saúde Bucal, Centros de Atenção Psicossocial e Núcleos de Apoio às Equipes de Saúde da Família, funcionando como uma pequena rede social e assistencial, com ensino, pesquisa e inovação.

Sua concepção está associada aos referenciais da promoção da saúde, com ações voltadas para a participação comunitária e intersetorialidade e a transformação das condições de vida local. O projeto busca a construção de redes e de um território integrado a partir da constituição da cobertura de 100% da saúde da família. Dessa forma, é possível integrar as ações de promoção, prevenção e assistência à saúde no território de Manguinhos.

Fonte: Ensp (texto modificado)