Fiocruz investe em projetos que beneficiam populações vulneráveis no combate à Covid-19 - Fiotec

Fique por dentro

Por favor, selecione quais conteúdo deseja receber da Fiotec:

Você pode cancelar a inscrição a qualquer momento clicando no link no rodapé dos nossos e-mails.

Nós usamos Mailchimp como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para se inscrever, você reconhece que suas informações serão transferidas para a Mailchimp para processamento. Saiba mais sobre as práticas de privacidade da Mailchimp aqui.

(Foto: Peter Ilicciev/Fiocruz Imagens)

Mais de 140 projetos voltados a populações vulneráveis, como quilombolas, indígenas, ribeirinhos e moradores de favelas, em todas as quatro regiões do País. Iniciativas que promovem a segurança alimentar, atividades de comunicação, protocolos de higiene coletiva e individual, assistência de grupos de risco, e saúde mental. O “Fiocruz contra a Covid-19” é o programa responsável pelo financiamento e apoio técnico aos projetos selecionados por meio da Chamada Pública para Apoio a Ações Emergenciais de Enfrentamento à Covid-19 junto a População Vulneráveis.

Existem três faixas de financiamento: até R$10 mil; até R$25 mil; e até R$50 mil. Ao todo, serão investidos 4,5 milhões de reais provenientes de doações feitas à Fundação Oswaldo Cruz para aplicação em ações humanitárias. A Fiotec é a responsável pela gestão financeira do programa que é a fonte de recursos para esses projetos, o “Unidos contra a Covid-19”. Dessa maneira, a instituição atua diretamente no repasse às organizações não governamentais que tiveram seus projetos selecionados. “Criamos toda a estrutura que possibilita o estabelecimento de uma relação contratual com essas organizações, inclusive a formalização documental exigida para o repasse dos recursos, execução e prestação de contas”, explica a supervisora de Projetos Externos, Daniele Pereira.

Segundo a profissional, foi necessário um trabalho específico de estruturação da equipe de Projetos da Fiotec para atendimento de todas as demandas relacionadas ao projeto. Daniele conta que inclusive o núcleo atuante no escritório da instituição em Brasília está com sua equipe mobilizada, bem como profissionais das outras áreas internas da Fiotec. Todos se dividem entre os trabalhos de estruturação e formalização das relações contratuais, repasse de recursos, criação de um modelo de prestação de contas, bem como a elaboração de material institucional para auxiliar o processo de gestão dos projetos.

“Temos que realizar tudo isso no menor tempo possível e convivendo com os desafios que a situação de pandemia nos trouxe, relativos principalmente à assinatura de documentos. Estamos estabelecendo parcerias com organizações de variados portes, espalhadas pelo Brasil, e nem todas têm acesso a tecnologias que facilitariam esses processos. Quando encontramos essas dificuldades é nosso papel pensar em soluções alternativas para viabilizar a conclusão dos processos”, relata.

O programa “Unidos contra a Covid-19”, que também tem sua gestão financeira realizada pela Fiotec, investe seus recursos não apenas no projeto “Fiocruz contra a Covid-19”, mas em iniciativas como a produção de kits para diagnóstico da doença, assistência a pacientes, atividades de pesquisa para ampliação da capacidade de processamento dos testes, além de ações de apoio a comunidades e comunicação confiável.

Conheça melhor o programa.


Com informações da Agência Fiocruz de Notícias (AFN).