PrEP15-19: Fiotec gerencia projeto inovador para diminuir a incidência de HIV em jovens - Fiotec

Fique por dentro

Por favor, selecione quais conteúdo deseja receber da Fiotec:

Você pode cancelar a inscrição a qualquer momento clicando no link no rodapé dos nossos e-mails.

Nós usamos Mailchimp como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para se inscrever, você reconhece que suas informações serão transferidas para a Mailchimp para processamento. Saiba mais sobre as práticas de privacidade da Mailchimp aqui.

Nos dias 16 e 17 de novembro, as equipes de Projetos e Logística da Fiotec participaram de uma reunião de treinamento e alinhamento entre os centros participantes do projeto Prep15-19. O estudo é financiado pela Unitaid, agência da ONU, e é desenvolvido pela Universidade Federal da Bahia, Universidade Federal de Belo Horizonte e Universidade de São Paulo com adolescentes de 15 a 19 anos que se identifiquem como mulheres transexuais ou travestis ou como homens cisgêneros gays, bissexuais ou que fazem sexo com outros homens (HSH).

O objetivo é avaliar a efetividade da profilaxia pré-exposição ao HIV (PrEP) nessa população e contribuir com a diminuição da incidência do vírus no público-alvo do estudo. “Nós fomos com a equipe de execução, prestação de contas, a nossa coordenadora e os nossos compradores envolvidos para uma maior integração com as partes clínica e de pesquisa do projeto. Dentre os objetivos, temos um alinhamento de fluxos e de orçamento para 2024, definição de pautas para a implementação da nova fase do estudo e do que será necessário para isso, em termos de compras, logística e da administração dos recursos”, disse Thaiany Medeiros, analista de Projetos da Fiotec.

“Nós já fizemos toda a parte de organização do campo e estamos muito próximos de começarmos realmente a termos os participantes, a escolherem que métodos eles vão usar, com a chegada do cabotegravir injetável (CAB-LA). Todo esse processo sendo gerenciado pela Fiotec e com apoio da Fiocruz é importantíssimo”, afirma Inês Dourado, coordenadora do projeto.

O PrEP15-19 começou em 2019, com a sua fase oral do medicamento, e agora avança para o início da execução da fase injetável com o cabotegravir (CAB-LA). “Esse estudo é uma iniciativa pioneira no mundo com adolescentes e esperamos que, cumprindo os objetivos do projeto, possamos avaliar a possibilidade de implementar o CAB-LA no Sistema Único de Saúde (SUS). Nós estamos muito animados com essa nova fase”, afirma Thaiany.