Fortalecimento da participação social das populações do campo, da floresta e das águas - Fiotec
Natureza: Extensão

As populações rurais brasileiras estiveram por muito tempo às margens das políticas públicas de saúde. Com a conquista do direito à saúde e a implementação do Sistema Único de Saúde (SUS), garantido pela Constituição Federal de 1988 como um dever do Estado, o SUS foi construído valorizando três princípios:  a universalização, a equidade e a integralidade nos serviços de saúde, reconhecendo e considerando as especificidades e peculiaridades das realidades vividas pelas populações do campo, da floresta e das águas.

Em função da necessidade de ampliação do acesso aos serviços de saúde, reconhecendo as especificidades culturais e locais dessas populações que vivem em situação de vulnerabilidades, foi criada a Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo, da Floresta e das Águas (PNSIPCFA), fruto das experiências e práticas dos movimentos sociais, tendo como bandeiras de luta a questão agrária, a saúde ambiental e a defesa do SUS.

O projeto desenvolvido pela Fiocruz Brasília, contribui para o fortalecimento da participação social e também para o protagonismo das populações do campo, da floresta e das águas na construção de caminhos próprios de cidadania.

O projeto tem como objetivo a formação de dirigentes sindicais, lideranças de assentamentos/acampamentos e dirigentes do movimento de mulheres camponesas, visando ao fortalecimento da participação social e a capacitação/qualificação para atuação nos espaços do controle e participação social, tais como conselhos de saúde, conferências e comitês.